Seguidores

Para Que Vim


Esse blog tem como objetivo difundir a Música Popular Brasileira em geral, seja ela qual for: a música do Sul, a musica do Cariri, a Pajeuzeira ou mesmo outros ritmos de regiões diferenciadas. Nasci no Sertão do Pajeú, lugar onde a poesia jorra com muita facilidade e que os Poetas do Repente cospem versos com uma precisão incrível. Sempre tive esta curiosidade de fazer postagens e construir um blog. Aliás, criar um blog é simples e rápido, mas, o difícil mesmo é mantê-lo vivo e pulsante. Uma tarefa difícil e tem que ser feita com muita dedicação e precisão, sei que às vezes agradamos a uns e desagradamos a outros; também pudera, não somos perfeitos e isso acontece em todas as áreas e campos de trabalho. E para que o blog aconteça, tenho que desafiar o meu tempo e fazer propagar até aqueles que acessam e fazem aquisições de temas no gênero da música, da poesia e outros segmentos da cultura brasileira. Não tenho a experiência de um Blogueiro profissional, mas, como se diz: “Experiência só se conquista com tempo, perseverança e dedicação”. É isso aí, espero que curtam esse espaço que faço com exclusividade para vocês.


Obs.: Do lado direito do seu monitor adicionei uma rádio (Cantigas e Cantos) com a finalidade de que você leia e ao mesmo tempo ouça uma seleção musical exclusivamente feita por mim. Também inserí fotos Antigas da Capital da Poesia (S. José do Egito), fotos retiradas do Baú do Jornalista Marcos Cirano.


Texto: Gilberto Lopes

Criador do Blog.

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Poesia: "A palmada de mãe não dói metade, da palmada que a vida da na gente, um mote glosado por Tallys Barbosa


''A palmada de mãe não dói metade
Da palmada que a vida da na gente''

Mãe sempre me deu educação
Me ensinou a trilhar o rumo certo
Por isso o meu caminho é coberto
De humildade, pureza e compaixão
Se aprendi a ser um bom cidadão
Agradeço a mainha eternamente
Que a dor de uma pisa a gente sente
Quando apanha só da sociedade
''A palmada de mãe não dói metade
Da palmada que a vida da na gente''

Tão querendo aprovar uma lei
Que pra mim está mal elaborada
Se ela vale se quer uma palmada
A dor quem aguenta eu já sei
Um menino que nasce vai ser rei
E a mãe que bater é delinquente
Se o menino errar constantemente
É a mãe que vai pra trás da grade
''A palmada de mãe não dói metade
Da palmada que a vida da na gente''

Botam Xuxa sentada na bancada
Pra poder ser o simbolo da alegria
Mais quando ela fez pornografia
Até pelo Papá a Bicha foi julgada
Aprovarem a lei da tal palmada
É um ato de alguém inconsciente
Tão querendo é formar mais delinquente
Para ver se tem roubo de verdade
''A palmada de mãe não dói metade
Da palmada que a vida da na gente''

Minha mãe vai ter condenação
Vai viver na prisão por toda vida
E pra mim é mais que merecida
Que ela viva dentro do meu coração
Pois foi ela que me deu educação
Me ensinou a ser um cabra decente
E se ele me bateu foi diferente
Foi ensinando a ter dignidade
''A palmada de mãe não dói metade
Da palmada que a vida da na gente''

Tallys Barbosa.









Facebook do Poeta

CANTIGAS E CANTOS

4 comentários:

  1. Poesia linda e comovente. Parabéns. Lembrei-me da minha santa mãe.

    ResponderExcluir
  2. Linda poesia não me canso de ver o vídeo....

    ResponderExcluir
  3. Linda poesia não me canso de ver o vídeo....

    ResponderExcluir